NOSSO BLOG AGORA ESTÁ COM POSTAGENS ATUALIZADAS TODOS OS DIAS. CONFIRA AS MAIS RECENTES E DEIXE SEU COMENTÁRIO.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Deslize da Redação e do Revisor

O QUE SERIA A CHAMADA VONTADE DE DEUS NA PERCEPÇÃO ESPÍRITA?
Boberg - Precisamos esclarecer que são duas as formas de pensar sobre a ideia de Deus: a ateísta e a deísta.
Para o ateísta, ela tem conotação de “submissão”, de “subserviência”, de “dependência” total a um Deus, tipo antropomórfico (aquele Deus pessoal que intervém constantemente no mundo, monitorando tudo).

O nosso amigo e atento leitor Job Alves dos Santos (Belo Horizonte, MG), percebeu a nossa falha assim que colocou o olho em FALANDO EM LIVRO, bate papo rapidinho com o escritor José Lázaro Boberg, na página 5 do informativo Kardec Já (junho - julho 2019). Quem não percebeu, ou não leu a matéria, passou batido.

Onde se lê "ateísta", leia-se "teísta". Erraram o redator e o revisor de plantão. Pelo que pedimos sinceras desculpas aos nossos leitores mais exigentes.

Carlos Barros,
editor e redator responsável.

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Recados confirmando o recebimento de KPC de julho

A GAZETA Kardec Ponto Com de julho, distribuída no dia 30 deste mês, repercutiu bem entre os leitores mais afinizados com a sua política editorial plural e alteritária. Confira os recados e quem escreveu para nossa Redação.

Prezado Carlos, recebi e li prazerosamente a gazenta KPC de julho, que está, como sempre, com excelentes e diversificadas matérias. A gazeta digital paraibana é, decididamente, um dos mais lúcidos e dinâmicos veículos de divulgação do Espiritismo na atualidade. 
Obrigado pela notas e informações das atividades do Centro Cultural Espírita de Porto Alegre. Parabéns pelo excelente jornalismo espírita produzido por toda sua equipe.
Salomão Jacob Benchaya,
presidente do CCEPA.

Estimado Carlos, confirmo e agradeço o envio da gazeta KPC de julho. Jornalismo bem produzido e atual. Parabéns a toda sua equipe de colaboradores e correspondentes regionais. Aquele abraço.
Astolfo Olegário de Oliveira Filho,
Londrina - PR.

Carlos Barros, acuso o recebimento da gazeta KPC de julho. E, com prazer, estou distribuindo-a com meus contatos. Um excelente trabalho em prol da divulgação espírita. Abraço.
Humberto Vasconcelos,
Recife - PE.

Carlos, obrigado pela edição de julho da gazeta KPC. Jornalismo sempre atento a tudo o que ocorre no meio espírita. Produzido com eficiência e pluralidade. Parabéns.
Milton Medran Moreira,
Porto Alegre - RS.

Senhor Editor, peço a gentileza de tirar o meu e-mail da lista de leitores da gazeta KPC. 
André Moury,
Recife - PE.

Outros leitores que receberam e agradeceram o envio da edição de julho de nossa gazetinha:

Jayme Lobato (Niterói, RJ), Wilson Longobucco (Rio de |Janeiro, RJ), Laurindo de Lázari (Araraquara, SP), Patrícia Sobral (Vila Velha, ES), Jorge Santana (São Paulo, SP), José João Tôrres (Brasília, DF), Saulo Rocha (Recife, PE), Kiko Muniz (São Luiz, MA), Rose Vilar (João Pessoa, PB), Octávio Caúmo (João Pessoa, PB), Manoel Costa (Lisboa, Portugal), Marcos Toledo (Natal, RN), Gildener Tôrres (Burity Bravo, MA), Lúcia Loureiro (Salvador, BA), Renato Magalhães (João Pessoa, PB), Dâmocles Aurélio (Jaboatão dos Guararapes, PE), Joaquim Canuto (Olinda, PE), Tereza Lazarinni \(João Pessoa, PB), Wilson Garcia (Recife, PE), Iara Regina (Rio de Janeiro, RJ), Túlio Fellipe (João Pessoa, PB), Dalva Teotônio (João Pessoa, PB), Salvador Gonsalves (Araraquara, SP), Júlio Caetano (Matão, SP), Marlene Santana (Aracaju, SE), Marcos Paterra (João Pessoa, PB), Vicente Gayoso (João Pessoa, PB), Valderedo Borba (João Pessoa, PB), Centro Espírita Missionários da Luz (João Pessoa, PB), Grupo Espírita Ave Luz (João Pessoa, PB), Orlando Florentino (Bayeux, PB), Centro Espírita Maria Madalena (João Pessoa, PB), Mauro Barros (Campina Grande, PB), Associação Espírita Obreiros da Vida Eterna (Natal, RN), Raymundo Rodrigues Espelho (Campinas, SP) e José Lázaro Boberg (Jacarezinho, PR).

Obrigadão a todos pela preferência de leitura e pelo apoio fraterno no compartilhamento do link da gazetinha com amigos e seguidores em suas redes sociais.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Escritor telefona para CEI

JÁ PASSAVA das 9h30 da manhã de ontem (dia 29), quando o telefone de nossa Redação tocou. Era o escritor José Lázaro Boberg (Jacarezinho, PR) com notícias sobre o seu mais recente livro, Seja Feita a Sua Vontade - A Força do Querer, lançado com o selo da EME Editora (Capivari, SP).

BOBERG falou-nos ainda que está com outro novo livro no prelo - segundo ele, um trabalho de pesquisa polêmico sobre a personalidade do fariseu convertido, Paulo de Tarso. Ele vai enviar tópicos desse livro para apreciação e breve comentário que será inserido em sua contracapa.

ANTES de encerrar nossa conversa telefônica, o autor de Seja Feita a Sua Vontade - A Força do Querer, solicitou dados de nossa Caixa Postal para enviar exemplar autografado para apreciação e divulgação.

BOBERG, sinônimo de atenção, simpatia e generosidade.

sábado, 18 de maio de 2019

LANÇAMENTO DO SEGUNDO VOLUME

A EDITORA Casa Editora O Clarim (Matão, SP), acaba de lançar o segundo volume da série Mentomagnetismo e Espiritismo - Distonias Mentais e Obsessão, autoria de Vítor Ronaldo Costa (desencarnado em 2015) e Gustavo Henrique de Lucena.

O LIVRO tem lançamento agendado para as cidades de Natal (RN) e Brasília (DF). Em Natal, o lançamento será no dia 15 de junho. O escritor e pesquisador Gustavo Lucena coordenará conferência com o tema "Mentomagnetismo e Distonias Mentais", dentro da programação do Ciclo de Debates Espíritas 2019, com temática central sobre "Transtornos Mentais e Espiritualidade".

O EVENTO é organizado pela Sociedade de Estudos Espíritas de Natal em parceria com o Centro Espírita Irmãos do Caminho, onde realizar-se-á toda a programação doutrinária.

JÁ EM Brasília, o lançamento está agendado para o dia 1º de julho, às 20 horas, no Grupo Espírita Atualpa Barbosa Lima, instituição onde o saudoso médico Vitor Ronaldo trabalhava voluntariamente em favor dos necessitados, encarnados e desencarnados.

LEMBRANDO: O livro está com preço promocional (de R$ 34,90 por R$ 26,90) e frete grátis para todo o Brasil, válido até 30 de junho ou enquanto durar o estoque. Mais informações no site www.oclarim.com.br.

Carlos Barros
editor e redator

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

CASAS ESPÍRITAS SEM FREQUENTADORES

QUEM anda circulando nas Casas Espíritas da região metropolitana de João Pessoa, fazendo ou assistindo palestras, já deve ter percebido que o número de frequentadores vem diminuindo a olhos vistos a cada ano. Não se sabe bem o que vem provocando essa evasão, mas o fato é visível e incontestável. Com a ausência de frequentadores, algumas Casas Espíritas já apresentam sinais de falência administrativa em face também da falta de trabalhadores voluntários para manter suas atividades com regularidade.
Centro Espírita Maria Madalena,
com sede no bairro do Róger.
A NOSSA informante - Rouse Paiva Duarte (de João Pessoa), adiantou que duas das mais antigas Casas Espíritas localizadas na capital paraibana estão com os dias contados para fechar as portas: Centro Espírita Maria Madalena, presidido por Célia Feitosa; e o Centro Espírita Tomaz de Aquino, sob os cuidados de Dormival Lima. Ambos não apresentam mais nenhuma boa motivação para "segurar" o que lhes resta de trabalhadores dispostos a continuar esperando por uma providência da "espiritualidade superior".
TEM quem justifique que a violência urbana é um dos fatores que implicam nesse processo de evasão e esvaziamento das Casas Espíritas na grande João Pessoa. Principalmente quando as suas atividades são realizadas à noite. Quem sai da instituição para pegar ônibus ou mesmo com veículo próprio, corre o risco de ser assaltado no meio do caminho para casa.
O RISCO é iminente. O espírito protetor não garante nada em casos dessa natureza.

CEI  /  da Redação

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

QUEM DIRIA...

O ESPIRITISMO chegou na China, país com uma das maiores populações do mundo. O lançamento de O Livro dos Espíritos - trabalho pioneiro de Emanuel Dutra em parceria com o tradutor chinês Wallace Gu, começou com a abertura da Editora Luchnos, nos Estados Unidos.
PARA os chineses, o Espiritismo simplesmente não existe, e a melhor forma de torná-lo conhecido é disponibilizar as obras de Allan Kardec no chinês nativo e fluente também em inglês. Segundo Emanuel Dutra, na China, especificamente, a tradição reencarnacionista aliada à emergente fé cristã (40% da população chinesa já é cristã), faz do Espiritismo um caminho natural para muitos chineses.
A EDITORA Luchnos já se prepara para o período de divulgação de O Livro dos Espíritos. O idealizador do projeto alimenta uma boa expectativa que os chineses e seus descentes residentes no Brasil venham a ser os grandes divulgadores da obra, na China, como também para os 50 milhões de chineses espalhados pelo mundo.  Fonte: jornal Correio Fraterno, edição janeiro - fevereiro 2019.

CEI  /  da Redação


MAGNETISMO - TUDO EM SEU DEVIDO LUGAR

ALEXANDRE Fontes da Fonseca é mestre, doutor em Física e professor da Universidade Estadual de Campinas (SP). Em artigo publicado no jornal "Correio Fraterno" - edição de janeiro / fevereiro, ela analisa a inadequação do uso da palavra magnetismo para expressar fenômenos espíritas: passe, cura, a ação da prece à distância, ou a simples transmissão ou troca de fluidos entre as pessoas.
SEGUNDO Alexandre Fonseca, a palavra magnetismo se tornou conhecimento científico apenas em Física e com significado bem próprio e distinto daquilo que outrora chamavam por magnetismo animal.
EM SEU artigo o professor universitário diz que Kardec já sabia que o termo magnetismo era inadequado para denominar o fenômeno. Ele o utilizou em sua época porque a palavra e o conceito eram atuais e conhecidos. Naqueles tempos, enfatiza o mestre e doutor em Física, o magnetismo animal era uma área do conhecimento com muitos adeptos, promissora para se tornar uma área científica, o que acabou não ocorrendo.
O ARTIGO é longo - ocupa duas páginas inteiras. E tem ainda um rápido bate papo com Alexandre Fonseca (foto) no qual ele esclarece algumas questões formuladas pelo jornal.  Fonte: jornal Correio Fraterno, edição de janeiro - fevereiro 2019.

CEI  /  da Redação